english español français nederlands português italiano
International Federation for Spina Bifida and Hydrocephalus
página inicial search mapa do site contactos disclaimer
International Federation for Spina Bifida and Hydrocephalus - Homepage

Introdução

Lidar com a incontinência

Escaras de pressão

Mobilidade

Prevenção de Defeitos do Tubo Neural

Informação para futuros pais

Vivendo com Spina Bifida: Testemunhos

Panfletos para adolescentes com Spina Bifida

 

Spina Bifida

Alergia ao Latex

Uma alergia ao látex é uma alergia relativa aos produtos feitos de borracha de látex natural. É uma alergia às proteínas da árvore-da-borracha e ainda presente e produtos feitos da borracha natural de látex. As alergias ao látex, incluindo aquelas que ameaçam a vida, estão a tornar-se mais frequentes. Os doentes com spina bífida estão em alto risco já que estão sujeitos a repetidas exposições ao látex durante os procedimentos no hospital e em casa (tal como algaliação com algálias de látex) mas, e mais importante, devido à maior exposição na sala de operação, devido ao número de cirurgias que necessitam.

Leia mais em:
Alergias ao látex e spina bífida
Uma pesquisa acerca das alergias ao látex e spina bífida
Alimentos com reactividade cruzada ao látex
Fabricantes de produtos sem látex

Folha de factos:
Alergia ao látex

Alergias ao látex e spina bífida

A sensibilidade ao látex (borracha natural) pode ser um problema para as pessoas com spina bífida  devido à frequência com que entram em contacto com ele.
Muitos produtos de saúde contêm látex por isso as pessoas com spina bífida ( e profissionais de saúde) estão expostos a ele numa base regular- quer seja durante cirurgias (através do uso de luvas de látex e equipamento anestésico) ou durante o tratamento dos intestinos ou bexiga (através do uso de tubagem, luvas e algálias de látex). A alergia ao látex ocorre quando as defesas naturais do corpo  contra um alergénico ganhou força.  Isso envolve a produção de anticorpos quando existe contacto com um específico antígeno (neste caso, látex). Os anticorpos são produzidos pela reacção inicial ao látex que sensibiliza as células em todos os tecidos. A severidade de reacções subsequentes depende dos meios de entrada do antígeno.
A exposição ao látex ocorre quando os produtos que contêm borracha entram em contacto com a pele ou membranas mucosas de uma pessoa, tais como a boca, olhos, genitais, bexiga ou recto. As reacções graves podem também ocorrer quando o látex entra na corrente sanguínea. Além disso o pó dos balões ou luvas podem absorver partículas e tornar AIRBONE causando reacções quando inalado por uma pessoa sensível ao látex.
A reacção mais potente e ameaçadora é a entrada no sistema vascular, o que pode levar a mudanças na pressão sanguínea e circulação (choque anafilático). O contacto com a pele provoca reacções menos severas: é normalmente levantada, rosada, borbulhas com coceira, que se desenvolvem rapidamente e duram alguns dias, mas não deixam marcas visíveis.
Estudos mostraram nos Estados Unidos que entre 18% e 73% as crianças e adolescentes com spina bífida são sensíveis ao látex como medido pela história e análises ao sangue.
Apesar de ser bastante aceite nos Estados Unidos, a alergia ao látex ainda não é considerada um problema pelas autoridades. Em parte, isto deve-se à falta de investigação acerca da extensão da alergia ao látex entre pacientes e pessoal médico e, também, devido à crença que são as impurezas no látex que causam a reacção alérgica, e não o próprio látex.
Sabe-se mais acerca das alergias ao latex entre o staff do hospital e dentistas do que em pacientes. Mas as coisas estão a mudar. A Sociedade de Enfermeiros da Royal College (SOHN) elaborou uma investigação em departamentos de saúde em 1996 para descobrir o número de profissionais com alergias em látex nos hospitais do Reino Unido. Estas figuras podem ser usadas para pressionar o governo e para encorajar os hospitais a introduzirem testes para novo staff e pacientes e para arranjarem uma solução de como lidar com pacientes e staff que têm alergia ao látex. O departamento da agência de instrumentos médicos de saúde sugeriu aos profissionais de saúde que perguntassem aos doentes acerca de anteriores reacções alérgicas ao látex. No entanto, alguns acreditam que os enfermeiros deviam ir mais longe e perguntar os pacientes acerca de alguma alergia alimentar, já que as duas estão interligadas.
A mãe de estudo de caso diz: «O George parece ser um caso isolado, neste momento. Estamos a lutar para que o seu problema seja reconhecido. As pessoas não acreditam. Se ele tivesse de ir ao hospital numa emergência, eu ficaria furiosa. Eles teriam de sugar todo o ar da sala de operações pois mesmo o látex no ar pode afecta-lo.»

Uma investigação acerca das alergias ao látex e spina bífida

A ASBAH esta a levar a cabo a sua própria investigação para descobrir a extensão acerca do problema entre os utilizadores do serviço. A Associação de Spina Bífida da América recomenda que todos os indivíduos com SB devam ser considerados de alto risco de terem uma reacção alérgica à borracha e devam evitar o contacto com produtos de borracha, especialmente durante procedimentos médicos ou cirúrgicos. Além disso, diz que as pessoas que experienciaram reacções alérgicas durante procedimentos médicos ou cirúrgicos devem considerar usar uma pulseira ou colar de alerta médico. A Associação de Spina Bífida da Califórnia distribui cartões de alerta médicos dizendo que os doentes com SB muitas vezes têm uma reacção alérgica severa ao látex.


P L May, MBBS, FRCS, neurocirurgião pediátrico e membro do comité de aconselhamento médico da ASBAH, escreve: As reacções severas aos pacientes expostos à substância do látex, foram descritas pela primeira vez em 1984.
Nos últimos anos, contudo, tem havido um reconhecimento crescente nos Estados Unidos da condição especialmente com respeito aos doentes com SPINA BÍFIDA e anormalidades associadas. A Administração de Alimentação e Medicamentos (Food and Drugs Administration - FDA) nos Estados Unidos tem levado a cabo vários estudos para examinar a a incidência da reacção nos pacientes com SPINA BÍFIDA ao látex, sobre a forma de SKIN RASHES ou manifestações de sensibilidade. Em 1991 esta incidência foi descrita à FDA como estando ente 18-40%. Foi notada pelos trabalhadores americanos que  as crianças pareciam estar particularmente em risco de hipersensibilidade a esta substância. A agência de Instrumentos médicos no Reino Unido tem vindo a monitorizar a matéria da alergia ao látex durante vários anos devido as preocupações levantadas pelos relatórios americanos do aumento de  incidentes de alergia ao látex entre profissionais de saúde e certos grupos de doentes. Neste momento não existem estatísticas relevantes que indiquem a extensão dos problemas nos cuidados de saúde do Reino Unido ou na população em geral. A partir da nossa experiência no Hospital Real de Crianças de Liverpool, nos últimos 6 meses documentamos pelo menos um episódio de uma maior reacção de hipersensibilidade numa paciente jovem com spina bífida sujeira a cirurgia correctiva da espinha. (SPINAL)
A condição foi reconhecida e ela recuperou completamente. Pensa-se que a incidência acrescida desta sensibilidade esteja relacionada ao aumento geral no uso de produtos de látex, particularmente luvas, pelos profissionais de saúde e também da incorporação de produtos de tubo  com um conteúdo muito elevado de látex. Os pacientes com deficiências do tubo neurológico e anomalias urogenitais congénitas parecem estar particularmente em risco provavelmente por causa do elevado número de procedimento cirúrgicos a que estão expostos a equipamento que contenha látex. O látex está presente em muitos diferentes tipos de materiais na sala de operações, incluindo luvas cirúrgicas, cateteres urinários, drenos cirúrgicos, seringas disponíveis e alimentação intravenosa. O látex por si próprio é um líquido branco e enevoado originário de uma árvore de borracha, Hevae brasiliensi. Uma vez o líquido extraído da árvore, são adicionados líquidos a ele que oferecem a força, elasticidade e estabilidade dimensional características de muitos produtos de borracha. A borracha natural do látex é então composta por proteínas e químicos adicionais, alguns dos quais sendo removidos durante os últimos estádios de produção. As reacções que possam ocorrer numa reacção alérgica ao látex podem variar desde uma irritação ligeira da pele a manifestações mais sérias de anafiláxia, ou choque maior. Neste país é claro que é preciso mais trabalho para identificar o problema potencial para que possamos sossegar os nossos utilizadores do serviço envolvidos nas mais repetidas formas de cirurgia. Isto também envolve uma maior consciência entre os profissionais de saúde bem como aos utilizadores do serviço que tenham hipersensibilidade ao látex. Existem, neste momento, testes que são de acesso gratuito para avaliar a sensibilidade do indivíduo ao látex, o mais comum que, creio ,é o teste RAST, que é uma análise ao sangue. È também possível fazer um teste à alergia ao látex na pele. È claro que é preciso fazer mais antes de estarmos aptos, neste país, a fornecer uma imagem de uma incidência deste evento aparentemente relativamente raro em utilizadores do serviço sujeitos a processos cirúrgicos no Reino Unido.

Lista de produtos que contêm látex

O látex é a seiva da árvore Hevea brasiliensis.

Produtos hospitalares e domésticos comuns que contêm látex:

  • Luvas domésticas
  • Luvas hospitalares
  • Preservativos
  • Preservativos de ajuda à incontinência
  • Pneus de cadeira de rodas
  • Fita adesiva
  • Alguns cateteres urinários
  • Alguns clisters
  • Lençóis de protecção
  • Produtos de colostomias/urostomias
  • Balões e bolas de borracha
  • Instrumentos de arte
  • DAMs dentais
  • Biberões e chupetas
  • Elástico nas roupas
  • Brinquedos de praia
  • Pastilha elástica

Existem produtos sem látex, em alternativa para todos estes itens. Normalmente, estas alternativas são feitas de plástico, vinil ou silicone.

Alimentos relacionados com as reacções ao látex

Investigações mostram que as proteínas encontradas em alguns alimentos revelam reacção imunitária semelhante às proteínas encontradas no látex. Por isso, se sente comichão na boca quando come algum dos alimentos mencionados abaixo, pode também ser alérgico ao látex. Os alimentos identificados como possuírem reacção incluem:

  • Bananas
  • Batatas
  • Abacates
  • Tomates
  • Kiwis
  • Mangas
  • Castanhas

Fabricantes de Produtos sem látex

  • Colectores de incontinência - Clear Advantage da Depuy Healthcare. Telefone grátis 0800-590916.
  • Preservativos- Naturalamb from Lamberts (Dalston) Limited, Dalston House, Hastings Street, Luton, Beds, LU1 5BW. Tel: 01582-400711. Fax: 01582-400646. Feito com uma membrana natural sem látex que ajuda a prevenir a gravidez mas não protege contra a infecção do HIV-SIDA e outras doenças sexualmente transmissíveis. Os preservativos de pele natural podem ser usados por baixos de preservativos de látex (se o homem é sensível ou em risco por causa do látex) ou sobre preservativos de látex (se a mulher é sensível ou em risco).
  • Luvas - N-dex Nitrile EMS dos Sentinel Laboratories Ltd, 12-13 Lindfield Enterprise Park, Lewes Rd, Lindfield, West Sussex RH16 2NH. Tel: (01444) 484044. Contact: Brian Smith.

subscreva a nossa
folha informativa

 

 

IF Neurosurgery

Flour Fortification Initiative

Council of Europe

Include Everybody

European Year of Intercultural Dialogue

IFSBH Annual Report 2007

Global Partnership for Disability and Development

Folsaeure

International Disability and Development Consortium